Junho 26, 2017

“Alemanha, Ano Zero”, de Roberto Rossellini de 1948: Cartazes e Fotografias

Este slideshow necessita de JavaScript.

Junho 26, 2017

“Alemanha, Ano Zero”, de Roberto Rossellini de 1948: Trailer

Junho 26, 2017

Boletim da 301ª Sessão: “Alemanha, Ano Zero”, de Roberto Rossellini, de 1948

“1947. Berlim. Edmund é um rapazinho e ajuda a família em desenrascanços para aquisição de bens alimentares. Um dia, reencontra um antigo professor, que lhe dá uma “aula” sobre os novos tempos. Em consequência, Edmund toma uma acção drástica sobre a sua família. Continuar a ler

Junho 21, 2017

“Uma Vida Difícil”, de Dino Risi de 1961: Cartazes e Fotografias

Este slideshow necessita de JavaScript.

Junho 21, 2017

“Uma Vida Difícil”, de Dino Risi de 1961: Trailer

Junho 21, 2017

Boletim da 300ª Sessão: “Uma Vida Difícil”, de Dino Risi, de 1961

Não é fácil fazer uma boa comédia. Principalmente, se ela traz embutida uma forte crítica social. A coisa se complica mais ainda se, além disso tudo, ela tiver uma boa dose de melancolia. Nesse verdadeiro campo minado, os italianos são excepcionais e entre eles, o cineasta Dino Risi é um de seus maiores mestres. Risi é pouco conhecido. Afinal, ele tinha uma concorrência de peso, uma vez que é contemporâneo de Federico Fellini, Luchino Visconti e Michelangelo Antonioni, só para citar três dos maiores nomes do cinema italiano da época. Uma Vida Difícil, com roteiro escrito por Rodolfo Sonego, conta a história de Sílvio Magnozzi (Alberto Sordi). Continuar a ler

Junho 15, 2017

Cinema Concerto Junho 2017

Junho 6, 2017

“As Noites de Cabíria”, de Federico Fellini de 1957: Cartazes e Fotografias

Este slideshow necessita de JavaScript.

Junho 6, 2017

“As Noites de Cabíria”, de Federico Fellini de 1957: Trailer

Junho 6, 2017

Boletim da 299ª Sessão: “As Noites de Cabíria”, de Federico Fellini, de 1957

“(…) Vamos ver, portanto, “As Noites de Cabíria”, esse filme de Fellini e de Giulietta Masina, marido e mulher durante 50 anos e um dia e inspiradores mútuos na construção desta e de outras obras, de que me interessa destacar “La Strada” – porque também “La Strada” é Giulietta Masina, apesar do Anthony Quinn que ele lá é. Continuar a ler

%d bloggers like this: